Como deixar a casa mais receptiva para a terceira idade

Compartilhe:

Imagem retirada de https://revistacasaejardim.globo.com/Casa-e-Jardim/Decoracao/noticia/2018/08/como-deixar-casa-mais-receptiva-para-terceira-idade.html

Independente de qual for o seu estilo, a sua casa reflete a rotina de vida que você leva. Apesar de cada um ter a sua, quando a idade chega, alguns aspectos do dia a dia acabam sendo os mesmos para todos. Segurança, conforto, circulação, apoio. Essas são apenas algumas das coisas que passam a exigir maior atenção dentro da casa de quem entra na “melhor idade”.

Conversamos com a arquiteta e especialista em gerontologia Flávia Ranieri, que projeta apartamentos adaptados para idosos, para entender quais medidas podem deixar um ambiente mais receptivo para os idosos. Para Flávia, a prioridade é sempre a segurança física e emocional do morador, de forma igualitária. “Ter uma casa onde a pessoa idosa se reconheça e se identifique é tão importante quanto barras de apoio no banheiro”, ela afirma.
PUBLICIDADE
inRead invented by Teads

A arquiteta comenta aspectos importantes que devem ser considerados:

Decoração
“A decoração é algo muito pessoal e cada um deve seguir seus gostos. Mas evitem o excesso de objetos e coisas pelo caminho. O ideal é manter a passagem livre. Tenha sempre objetos com memória afetiva pela casa. Dê preferência por móveis com bordas arredondadas e que facilitem o sentar e levantar. Lembre-se que tudo vira apoio, então opte por móveis firmes.”

Iluminação
“A iluminação deve ser uniforme, evitando áreas de muita sombra. Deve-se acrescentar iluminação nas áreas de trabalho e nas bancadas da cozinha e do banheiro.”

Quarto, sala, cozinha e banheiro
“Estes espaços devem ter circulações amplas e desimpedidas de forma a posssibiltar o eventual uso de cadeira de rodas. Circulações mais amplas também reduzem tropeços nos móveis. Estes espaços devem ser planejados baseados na rotina de vida da pessoa idosa e se adequar as atividades que eles realizam. O banheiro e cozinha devem receber atenção especial uma vez que são onde acontecem o maior número de quedas. Pisos antiderrapantes e boa iluminação são itens básicos. Barras de apoio no banheiro também são de grande ajuda.”

Tapetes e carpetes
“Não são proibidos, mas devem ser evitados. Há dois fatores que os transformam em risco: nossos passos ficam mais rasteiros e, por menor que seja a espessura do carpete, ele pode causar tropeços. A visão periférica também fica prejudicada com a idade, dificultando a rápida detecção de ondas no tapete e consequentemente uma reação rápida para dar um passo mais alto.”

Escadas e corredores
“As escadas devem ter as beiradas do degrau muito bem marcadas para que seja possível identificar o desnível. Corrimão é fundamental por dar um apoio extra, além de ajudar em caso de queda. O piso deve ser fosco para evitar ilusões de ótica e ter um superfície regular e não escorregadia. Esta recomendação para o piso da escada também serve para o corredor. Esta área de circulação deve ter largura o suficiente para a passagem de duas pessoas lado a lado, pensando em uma pessoa idosa e um cuidador. Quando o corredor for muito longo, ele deve ter áreas de assento no percurso e se possível corrimão para suporte.”

Revestimentos
“Os revestimentos devem ter contraste suficiente para diferenciar paredes e pisos. Nas áreas molhadas atente para o uso de piso antiderrapante.”

Armários
“Considerando a amplitude de movimento da pessoa, reorganize os armários para que tudo fique ao alcance sem a necessidade do uso de escadas ou bancos. Etiquetas nas gavetas e armários ajudam a pessoa a se lembrar onde tudo está guardado e uma iluminação interna ajuda na visualização das peças.”

Pets
“Mantenha a cama de seu animalzinho em um local onde não há o risco de tropeçar. Chame um adestrador para ajudá-lo a treinar seu cão a não ficar no caminho. Isto pode reduzir em muito das quedas. Coloque as vasilhas de comida e água um pouco mais altas mas ainda sim de uma forma que seu animal consiga alcançá-lo. Coleiras com cores vibrantes também ajudam na visualização do seu bichinho pela casa.”

Jardins e quintais
“O piso deve ser regular para evitar tropeços e ser antiderrapante. Áreas de assento com braço são muito bem vindas. As espécies de plantas não devem ser venenosas e a altura do jardim, se possível deve ser mais alta para facilitar a manutenção. As áreas externas devem prever tanto áreas de sombra como de sol e a porta de entrada da casa deve ser bem marcada para facilitar a visualização na volta para moradia.”

Fonte: Casa&Jardim